A gente sabe que a escolha profissional é provavelmente uma das primeiras grandes decisões que você vai tomar na vida. Por isso, a FGV quer te ajudar a conhecer um pouco mais sobre sua futura carreira demonstrando o amplo leque de possibilidades de atuação profissional de um dos cursos que disponibilizamos tanto no Rio de Janeiro quanto em São Paulo: Economia.

Trabalhar com Economia não limita seu horizonte profissional. Afinal, a profissão pode ser considerada uma verdadeira ponte entre as Ciências Exatas e as Ciências Humanas, preparando você para uma ampla gama de atuação profissional.

São infinitas as possibilidades de carreira em um espaço tão vasto como a Economia. Análise de dados, estatística, níveis de confiança na economia, programação, entre outros campos. O profissional desta área tem capacidade para desenvolver atividades tanto na área privada quanto pública. Sendo assim, o curso de Economia te prepara para trabalhar em empresas, nos bancos, nos órgãos do governo, para empreender e até dá insights para  decisões pessoais.

 

Tecnologia e Ciência de Dados

O avanço da Ciência de Dados e das novas tecnologias foram apontados como fatores centrais para o desenvolvimento da profissão, a partir do processo de transformação e aceleração digital. Na série Conexões para o Futuro, publicada no FGV Notícias, os professores Joelson Sampaio e José Feres falaram sobre como a tecnologia impulsionou a profissão.

“Economia é uma ciência social, então, não tem um caráter apenas quantitativo, pois também possui uma formação humanística. Agora, com o advento da Ciência de Dados, existe um fortalecimento dessa área quantitativa e há também o uso de ferramentas computacionais que já estão sendo utilizadas para a profissão. Esse processo tem trazido mais ferramentas para os economistas analisarem a realidade”, ressalta o professor Joelson Sampaio (FGV EESP).

“O boom digital tornou a área mais intensiva no uso de dados, o que requer o domínio de linguagens de programação e conhecimento de ciência de dados. Antigamente, a formação do economista podia ser dividida em três grandes componentes: teoria econômica, métodos quantitativos e humanidades. Com a aceleração digital, linguagens de programação tornaram-se um quarto componente de fundamental importância”, afirma José Feres, professor da Escola Brasileira de Economia e Finanças (FGV EPGE).

 

Possibilidades de Carreiras

- Finanças e Produtos financeiros

O economista é treinado para gerenciar e criar produtos financeiros sofisticados para bancos, bancos de investimento e para a gestão de riqueza, seja de empresas ou de famílias (private banking consulting). Na área governamental, o economista especializado nesta área é treinado para operar a política monetária.

  •      Bancos de Investimento
  •      Governos
  •      Empresas e Famílias

 

- Políticas Públicas

Os economistas são profissionais capacitados para analisar e avaliar políticas públicas nas áreas de saúde, educação, segurança pública, combate à pobreza e meio ambiente – por exemplo – tanto no âmbito nacional como internacional, trabalhando para governos ou instituições internacionais (ONU, Banco Mundial, FMI etc.) e, ainda, em grandes empresas transnacionais de consultoria e auditoria.

  •      Empresas de Auditoria e Consultorias Globais
  •      Banco Mundial, ONU, FMI
  •     Governos e Instituições de Pesquisa 

 

- Economia Setorial e Estratégia

O economista, neste campo de ação profissional, trabalha com análises de setores da economia para fornecer informações que venham a guiar as decisões de empresas e de investidores. O economista especializado neste campo também atua com advogados na área de direito regulatório, regulação e concorrência.

  •     Empresas Públicas
  •     Consultorias Econômicas e Políticas
  •     Bancos de Investimento
  •     Governo, CADE, Secretaria de Direito Econômico

 

- Finanças Corporativas

Nesta área o economista trabalha com a gestão financeira de organizações, sejam elas bancárias, financeiras, do setor de serviços, industrial ou agrícola.

  •     Corporações Privadas ou Públicas
  •     Bancos Comerciais e de Investimento
  •     Corporações dos Setores de Serviços e Agroindústria
  •     Consultorias de Auditoria Financeira e Contábil
  •     Consultorias de Estratégia
  •     Seguradora
  •     Consultorias Financeiras

 

- Economia e Finanças Internacionais

O economista desta área trabalha com análises sobre o comércio internacional, finanças internacionais, cenários macroeconômicos e estratégicos.

  •     Corporações Privadas e Estatais
  •     Bancos Comerciais e de Investimento
  •     Governo, Ministério da Fazenda
  •     Banco Mundial, FMI
  •     Bancos de Investimento

 

- Economia Socioambiental

O economista que atua nesta área elabora e analisa a viabilidade econômica de projetos de investimento em qualquer setor da economia, levando em consideração os impactos ambientais. Na análise de um projeto, dada a legislação ambiental, deve-se calcular tanto o retorno privado, o custo privado, bem como o social, de projetos.

  •     Corporações Privadas e Estatais
  •     Governos, Instituições de Pesquisa e ONGs
  •     Instituições Internacionais de Desenvolvimento
  •     Consultorias e Empresas de Energia

 

- Consultoria Estratégica

O economista que atua nesta área avalia quadros e cenários microeconômicos e macroeconômicos, políticos e sociais, que afetam a vida e as decisões de qualquer tipo de organização. Seu mercado de trabalho engloba grandes empresas de consultoria, auditoria e consultoria de estratégia econômica e política.

  •     Empresas Públicas
  •     Corporações Privadas
  •     Empresas de Auditoria e Consultoria
  •     Consultorias Econômicas e Políticas

 

Cursos de Economia da FGV

A FGV possui dois cursos de Economia, um no Rio de Janeiro pela EPGE Escola Brasileira de Economia e Finanças (FGV EPGE) e outro em São Paulo pela Escola de Economia de São Paulo (FGV EESP). Ambas as Escolas são reconhecidas por sua excelência acadêmica e têm o compromisso de contribuir com o desenvolvimento nacional pela produção e transmissão do conhecimento econômico e com uma grade curricular atualizada, incorporando os novos debates e temas da agenda econômica.

 

De acordo com o professor Bernardo Guimarães, no curso de economia você aprende um arcabouço para pensar as relações sociais, as relações das pessoas nos mercados de bens de trabalho financeiro. Você aprende também a olhar para dados e tirar conclusões usando estatística, ciência de dados e várias ferramentas que vão te ajudar a traduzir números em conclusões e ideias em ações.

 

Para saber mais sobre os cursos da FGV de Economia, no Rio de Janeiro e em São Paulo, acesse o site.

Conheça mais sobre a Graduação FGV
As manifestações expressas por integrantes dos quadros da Fundação Getulio Vargas, nas quais constem a sua identificação como tais, em artigos e entrevistas publicados nos meios de comunicação em geral, representam exclusivamente as opiniões dos seus autores e não, necessariamente, a posição institucional da FGV. Portaria FGV Nº19.

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação e utiliza tecnologias como cookies para armazená-las e permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para mais informações, acesse o nosso Aviso de Cookies e o nosso Aviso de Privacidade.