Já sabemos que a graduação vai muito além da grade curricular e que as atividades extras podem e devem fazer parte da sua jornada acadêmica. São inúmeras opções, como monitoria, intercâmbio, imersões, estágios e, dentre as possibilidades, temos elas, as entidades estudantis!

Você lembra o que são entidades estudantis?

São organizações formadas por estudantes que compartilham, além de interesses, objetivos acadêmicos, culturais, sociais, políticos etc. Cada curso pode ter inúmeras entidades. Juntas, elas promovem atividades, ações e representam o corpo discente. Essas organizações são independentes e são criadas pelos próprios alunos para enriquecer a experiência durante a formação. Além das entidades, temos os coletivos estudantis. Estes, geralmente, são mais voltados a questões sociais, políticas, étnicas, culturais, de gênero, entre outras. Todos os coletivos buscam criar um espaço inclusivo e de apoio para a comunidade FGV!

Ingressar em entidades e coletivos contribuiu para o crescimento pessoal, profissional e social. Já falamos sobre algumas nesta matéria aqui, mas, dessa vez, para você ficar mais por dentro de como fazer parte desses grupos, entrevistamos a nossa veterana Bárbara Muniz de Figueiredo! Ela é do 4° período de Administração na FGV EBAPE e Presidente do Diretório Acadêmico de Administração da FGV no Rio de Janeiro, o DAA.

FGV

📝 Os benefícios de participar de uma entidade estudantil!

Os principais benefícios são conhecer colegas e formar amizades; lidar com novas situações e, assim, se tornar mais confiante; e desenvolver habilidades comportamentais ao vivenciar desafios do mundo de trabalho e aprender a solucioná-los.

As vantagens vão além do acadêmico, como desenvolvimento de habilidades interpessoais, networking e crescimento pessoal.

 

👩‍🎓 Como se preparar antes de ingressar na graduação?

Aconselho a conhecer previamente as entidades pelo Instagram para saber qual priorizar.  Além disso, para entrar em uma entidade, é preciso passar por seu processo seletivo, então aconselho a pesquisar sobre como ter bom desempenho em entrevistas e dinâmicas.

Os futuros universitários já podem começar a se preparar para serem membros ativos em entidades durante a graduação.

 

👀 Como isso vai contribuir para o currículo acadêmico e profissional?

A jornada na entidade pode fazer parte do currículo, seja como membro, diretor(a) ou presidente. Além disso, as experiências vivenciadas se assemelham às do mercado de trabalho e podem ser citadas em entrevistas.

A participação ativa pode enriquecer o currículo e abrir portas para oportunidades futuras!

 

🤔 Como escolher a entidade certa?

É preciso conhecer tanto a entidade quanto se autoconhecer. Para saber mais sobre a entidade, recomendo conversar com seus membros e acompanhar seu Instagram. Quanto ao autoconhecimento, é preciso saber quais são seus valores e entender se são semelhantes aos da entidade. Além disso, é preciso escolher aquela que tenha um propósito com o qual você se identifique.

No site do DAA, você encontra duas páginas especiais com uma lista de entidades e coletivos da FGV no Rio de Janeiro para você conhecer!

 

💙 Inclusão e diversidade!

Alunos de diferentes cursos, origens e idades ingressam nas entidades através dos processos seletivos. A divulgação das inscrições gera uma maior diversidade ao ser realizada em todos os cursos e para alunos de diferentes grupos de amizades.

As iniciativas das entidades criam ambientes acolhedores e diversificados, que contribuem para uma experiência universitária ainda mais valiosa.

 

😎 Equilíbrio é tudo! Como combinar as atividades da entidade e as demandas acadêmicas?

É possível, mas é necessário estabelecer limites. Recomendo participar de apenas uma entidade por vez, a fim de realizar suas atividades com excelência.

Lembre-se de gerenciar o seu tempo e priorizar responsabilidades. É fundamental garantir um equilíbrio saudável entre o envolvimento nas entidades e o desempenho acadêmico.

 

👑 Desenvolvendo habilidades de liderança!

Há oportunidades de liderança ao ser diretor(a) de uma área, head de um squad, presidente da entidade ou até mesmo ao ser membro de um grupo e comandar o rumo das atividades. Essas experiências ensinam sobre comunicação, conexão, valores, empatia, responsabilidade e comportamento. No começo, pode ser um pouco assustador pensar em assumir um cargo de liderança, que vem com muitas responsabilidades, mas, com o tempo, você aprende a lidar com situações e, principalmente, reconhece que não está sozinho(a) nas decisões, pois faz parte de uma equipe que existe para apoiar uns aos outros.

As diferentes posições de liderança disponíveis são grandes oportunidades de moldar membros como líderes futuro!

 

💡 Empreendedorismo e inovação!

Há muito espaço para desenvolver e aplicar soluções nas entidades, ainda mais por serem um espaço para errar quando necessário, já que são um ambiente de aprendizado para o mercado de trabalho.

Explore as iniciativas que encorajam a criatividade!

Agora que você já entende um pouco mais sobre o universo das entidades estudantis, que tal conhecer mais sobre as outras experiências da Graduação FGV?

Conheça mais sobre a Graduação FGV